Please use this identifier to cite or link to this item: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/2095
Type: Dissertação
Title: As mulheres no processo de colonização do oeste catarinense: invisibilidade e resistência (1920/1960)
Author: Signori, Andréia Aparecida
First advisor: Radin, José Carlos
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Hass, Monica
Resume: Essa dissertação trata sobre as mulheres no processo de colonização do Oeste catarinense, no período de 1920 a 1960, abordando sobre o contexto da colonização, a invisibilidade e a resistência das mulheres nesse processo. A construção do cenário em que ocorreu a colonização é feita a partir das bibliografias sobre história regional e por meio de documentos do acervo familiar da minha bisavó Elvira Laura, uma das mulheres migrantes que participou da colonização da região. A historiografia sobre o processo colonizador geralmente é colocada sob um viés patriarcal onde as mulheres foram invisibilizadas, elas pouco aparecem nas representações e nas memórias da colonização. À luz da referência teórica de Thompson a partir da História vista de baixo, a pesquisa trabalha a participação das mulheres no processo colonizador. Tanto as leis quanto a religião e os costumes criaram padrões de subordinação e silenciamento para as mulheres. Era costume nominar as mulheres como profissionais do lar, uma atividade não profissionalizada e mesmo quando tinham outros ofícios, não eram reconhecidas. Por meio dos costumes se consolidava a ideia de inferioridade das mulheres, pois, o direito de herança lhes era negado. Para compreender o contexto da dominação masculina, Pierre Bourdieu é o teórico que ampara a pesquisa. O cristianismo contribuiu com os padrões de moralidade onde ser mãe e ser recatada implicava em submissão e obediência. Olhando velhas fontes com um olhar novo é possível identificar que, apesar de tantas forças contribuírem para o silêncio das mulheres na história da colonização do Oeste de Santa Catarina, muitas delas resistiram e tornaram-se visíveis, contestaram os padrões estabelecidos, se negaram à submissão e protagonizaram suas identidades, suas profissões e seus direitos. O suporte teórico de Mary Del Priore contribui para compreender e melhor historicizar o protagonismo e resistência das mulheres no processo de colonização do Oeste catarinense presente nas fotografias e nos processos judiciais da época.
Abstract: This dissertation deals with women in the process of colonization of the West of Santa Catarina from 1920 to 1960, addressing the context of colonization, invisibility and resistance of women in this process. The construction of the scenario in which the colonization occurred is based on bibliographies of regional history and through documents from the family collection of my great-grandmother Elvira Laura, one of the migrant women who participated in the colonization of the region. Historiography on the colonizing process is usually placed under a patriarchal bias where women were invisibilized, they barely appear in the representations and memories of colonization. In the light of Thompson's theoretical reference from history viewed from below, research works on the participation of women in the colonizing process. Laws as well as religion and customs have created patterns of subordination and silencing for women. It was customary to nominate women as household professionals, an unprofessional activity, and even when they had other trades, they were not recognized. By means of the customs the idea of inferiority of the women was consolidated, because, the right of inheritance was denied to them. To understand the context of male domination, Pierre Bourdieu is the theoretician who supports research. Christianity contributed to the standards of morality where being a mother and being modest implied submission and obedience. Looking at old sources with a new look, it is possible to identify that, although so many forces contributed to the silence of women in the colonization history of the West of Santa Catarina, many of them resisted and became visible, challenged established standards, refused to submit and carried out their identities, their professions and their rights. The theoretical support of Mary Del Priore contributes to understand and better historicize the protagonism and resistance of women in the process of colonization of the West of Santa Catarina present in the photographs and judicial processes of the time.
Keywords: Colonização
Gêneros
Mulheres
Sociedade
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Fronteira Sul
Acronym of the institution: UFFS
College, Institute or Department: Campus Chapecó
Name of Program of Postgraduate studies: Programa de Pós-Graduação em História
Type of Access: Acesso Aberto
URI: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/2095
Issue Date: 2018
metadata.dc.level: Mestrado
Appears in Collections:História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SIGNORI.pdf2,51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.