Please use this identifier to cite or link to this item: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/2439
Type: Monografia
Title: A “cultura do brincar” nos anos iniciais do ensino fundamental de nove anos
Author: Santiago, Michele C. R.
First advisor: Maraschin, Maria Lucia Marocco
Resume: A presente pesquisa ocupou-se do seguinte problema: como a cultura do brincar tem sido instituída nos anos iniciais do Ensino Fundamental de nove anos, desde a implementação da Lei 11.274/2006? Este estudo/compromisso formativo com suporte bibliográfico e documental, configura-se em pesquisa do tipo “estado do conhecimento”, de acordo com Ferreira (2002). Objetivou analisar os sentidos e significados acerca da cultura do brincar para os Anos iniciais do Ensino Fundamental presentes nos documentos oficiais e nas produções Stricto Sensu no recorte temporal de 2006 à 2017. Consonante ao proposto foram realizados dois movimentos metodológicos: a análise dos documentos oficiais norteadores da política do Ensino Fundamental de nove anos, proposta pelo Ministério da Educação, e as produções decorrentes de programas de mestrado e doutorado da década definida. Para isso, acessamos o sítio da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), utilizando a expressão de busca “brincar”. Do total de trabalhos, 190 teses e 344 dissertações, foram selecionadas 11 teses e 41 dissertações, as quais circunscreveram diretamente o objeto de pesquisa na interface definida. A análise e interpretação dos resultados deu-se a partir das contribuições da Análise de Conteúdo de Bardin (1977) e da sintetização proposta por Triviños (1987); pré-análise, análise categorial e análise inferencial. Como resultados deste estudo, foi possível depreender dos documentos orientadores, publicados pelo Ministério da Educação, que a cultura do brincar em suas diferentes configurações deve ser garantida para a criança do Ensino Fundamental. Nas produções acadêmicas, emergiram vários destaques, presentes nas seguintes categorias: a) a negação do brincar e ou a sua utilização como pretexto, sob suspeita e de forma secundarizada; b) o brincar no Ensino Fundamental de nove anos, a transição da criança da Educação Infantil para os Anos Iniciais e a formação do professor para estas demandas; c) as vivências do brincar como desafios e/ou inovações que se fazem necessárias de acordo com os tempos, espaços e contextos vividos. Acreditamos que essas categorias contribuem para definir e compreender o cenário da cultura do brincar no primeiro ciclo do Ensino Fundamental de nove anos, seus sentidos e significados. Em virtude disso, destacamos que o brincar precisa ser assumido como eixo formativo, focado nas singularidades da criança, para além do desejo das instituições e suas organizações, e a formação do professor, dada a ressignificação da infância, precisa corroborar em defesa da criança e das suas necessidades no processo de desenvolvimento e aprendizagem.
Abstract: The present research focused on the following problem: as the culture of playing has been instituted and materialized in the initial years of the nine-year Primary School, since the implementation of the Law 11.274 / 2006, the path undertaken of a bibliographic support, documentary, and of the "state of knowledge" type, according to Ferreira (2002).This formative commitment/study aimed at analyzing the senses and meanings about the culture of playing, present in the official documents and in Stricto Sensu productions in the temporal cut from 2006 to 2017. Consonant to the proposed were achieved two methodological movements: the analysis of the official documents guiding the policy of nine-year Elementary School, proposed by the Ministry of Education, and of the productions derived from masters and doctoral programs. For that, we accessed the CAPES (Coordination for Improvement of Higher Education Personnel), using the search expression "playing". Out of the total number of papers, 190 theses and 344 dissertations, 11 theses and 41 dissertations were selected, which directly circumscribed the research object. The analysis and interpretation of the results came from those of the Content Analysis of Bardin (1977) and its synthesis with Triviños` contributions (1987); pre-analysis, categorical analysis and inferential analysis. As results of this study, it was possible to deduce from the guiding documents, published by the Education Ministry, that the culture of playing in its different configurations should be guaranteed for the Elementary School child. In the reading of the academic productions, the following categories emerged: a) the denial of playing and / or its use as a pretext, under suspicion and in a secondary way; b) playing in the nine-year Primary School, the transition from early childhood to primary education and the teacher training for these demands; c) the experiences of playing as challenges and / or innovations that are necessary according to the times, spaces and contexts lived. We believe that these categories contribute to define the scenario of the playing culture on the first cycle of nine-year Primary Education, their senses and meanings. Due to that, we assumed the playing as a formative axis, whose central focus is on the child, on the institutions and their organizations, and on the teacher training, given the resignification of this process in the present time.
Keywords: Ensino fundamental
Brincadeiras
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Fronteira Sul
Acronym of the institution: UFFS
College, Institute or Department: Campus Chapecó
Type of Access: Acesso Aberto
URI: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/2439
Issue Date: 2018
Appears in Collections:TCC Pedagogia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SANTIAGO.pdf1,09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.