Please use this identifier to cite or link to this item: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/3278
Type: Monografia
Title: Assédio moral nas organizações e maternidade: um estudo com mulheres mães de Chapecó/SC
Author: Martini, Géssica Miriam
First advisor: Tosta, Kelly Cristina Benetti Tonani
Resume: Pode-se observar que as organizações buscam cada vez mais vantagens competitivas por meio do capital humano, no qual a base é o alto desempenho. Entretanto tem ações que podem refletir diretamente na produtividade laboral. O assédio moral é um exemplo dessas atitudes, as mulheres, por sua vez, vêm ganhando espaço e destaque dentro dos mais diversos cargos organizacionais. Através de muitas lutas, suas capacidades intelectuais estão sendo reconhecidas. Todavia, sua vida pessoal sempre foi marcada pela maternidade que ainda é vista como uma responsabilidade feminina, interferindo diretamente na vida profissional dessas mulheres mães. Esse fato pode causar interferências negativas e ser uma variável agravante para ações do assédio moral. Portanto, o estudo aqui se propõe a responder à pergunta de qual é a incidência do assédio moral no trabalho com mulheres mães? O objetivo geral desta pesquisa é analisar a incidência do assédio moral, dentro das organizações entre mulheres que são mães, na Chapecó-SC. A metodologia foi através de dois instrumentos, o questionário e a entrevista. No primeiro momento buscou-se dados quantitativos a fim de tabular os dados percentualmente, perguntas abertas também foram realizadas para coletar mais informações. Foi tabulado 104 respostas, esses dados foram coletados através do Google Docs. No segundo momento, foi abordado questões qualitativas, visando aprofundar as experiências vivenciadas por quatro entrevistadas que são mulheres mães. Na análise dos dados a primeira porcentagem relevante é corresponde a dupla e tripla jornada, em que 97,1% das respondentes se reconhecem vivendo nesta situação. Esse fato também foi reconhecido nas entrevistas, no qual os relatos apontam a realidade do cotidiano das mulheres que são mães. No que diz respeito ao assédio moral 51,9% dizem terem passado por situações negativas pelo fato de serem mães, a maternidade foi apontada como uma variável determinante para o acontecimento da violência, pelas empresas, em muitas situações preferirem colaboradores com menos responsabilidades externas. O reconhecimento das dificuldades são expressivas e a falta de amparo e políticas que possam inibir essas ações são percebidas tanto pelas pelas respondentes quanto pelas entrevistadas. Pontos como a amamentação, políticas públicas, naturalidade em ser mãe, doenças causadas pelo assédio moral também foram levantadas, trazendo resultados que precisam ser refletidos para que de fato possa se ter uma igualdade de oportunidades e a diminuição do assédio moral em meio laboral.
Abstract: It can be observed that organizations increasingly seek competitive advantages through human capital, on which the basis is high performance. However, there are actions that can directly reflect labor productivity. Bullying is an example of such attitudes; women, in turn, are gaining ground and prominence within a wide range of organizational positions. Through many struggles, his intellectual abilities are being recognized. However, her personal life has always been marked by motherhood that is still seen as a female responsibility, directly interfering in the professional life of these mothers. This fact can cause negative interference and be an aggravating variable for actions of bullying. Therefore, the study here proposes to answer the question of what is the incidence of bullying in working with mothers? The general objective of this research is to analyze the incidence of bullying within the organizations among women who are mothers in Chapecó-SC. The methodology was based on two instruments, the questionnaire and the interview. At the first moment we searched for quantitative data in order to tabulate the data percentage, open questions were also asked to collect more information. 104 responses were tabulated, this data was collected through Google Docs. In the second moment, qualitative issues were addressed, aiming to deepen the experiences of four interviewees who are mothers. In the analysis of the data the first relevant percentage corresponds to double and triple journey, in which 97.1% of the respondents recognize themselves living in this situation. This fact was also recognized in the interviews, in which the reports point to the daily reality of women who are mothers. With regard to bullying, 51.9% said they had experienced negative situations because they were mothers, maternity was pointed out as a determining variable for the violence event, by companies, in many situations, they preferred employees with fewer external responsibilities. The recognition of the difficulties are expressive and the lack of support and policies that may inhibit these actions are perceived by both the respondents and the interviewees. Points such as breastfeeding, public policies, naturalness in being a mother, illnesses caused by bullying have also been raised, bringing results that need to be reflected so that in fact one can have equal opportunities and reduce bullying in the workplace.
Keywords: Assédio moral
Mercado de trabalho
Maternidade
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Fronteira Sul
Acronym of the institution: UFFS
College, Institute or Department: Campus Chapecó
Type of Access: Acesso Aberto
URI: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/3278
Issue Date: 2019
Appears in Collections:TCC Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARTINI.pdf1,62 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.