Please use this identifier to cite or link to this item: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/301
Type: Artigo Cientifico
Title: O "Sagitário Libertador": Antero de Quental e a voz revolucionária
Author: Bruschi, Nathâna Paula
Resume: O poeta açoriano Antero de Quental, em sua obra poética, escreveu alguns sonetos revolucionários. Muitos desses poemas incitavam à ideia, ao “fazer o leitor pensar”, a uma independência intelectual, e fugiam dos moldes da literatura da época, o que chamou a atenção dos considerados mestres que se viam importunados por Antero e outros poetas que queriam inovar. Entre os que se sentiam incomodados com isso, estava António Feliciano de Castilho, que, aproveitando-se de uma carta-posfácio, redigiu inúmeras críticas aos jovens escritores da Escola de Coimbra, considerando-os uma “doença” para a literatura. Diante das provocações, Antero redigiu e publicou a carta/folheto Bom Senso e Bom Gosto, deflagrando-se, assim, a chamada Questão Coimbrã. Nessa carta, além de responder aos insultos, o poeta defende que ser escritor seria como um sacerdócio, e a missão do escritor é livrar-se de toda a vaidade de reconhecimento, manter o “espírito independente” da imposição dos mestres e escrever com ideias que façam o povo pensar. Na presente pesquisa, o que se pretende é contrapor as visões estéticas de ambos os poetas, e, da mesma forma, a título de exemplo, observar como essa vertente revolucionária anteriana constrói-se poeticamente.
Keywords: Análise poética
Antero de quental
Bom senso e bom gosto
Questão coimbrã
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Fronteira Sul
Acronym of the institution: UFFS
College, Institute or Department: Campus Realeza
Type of Access: Acesso Aberto
URI: https://rd.uffs.edu.br/handle/prefix/301
Issue Date: 7-Dec-2015
Appears in Collections:TCC Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BRUSCHI.pdf276,01 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.